21 e 22 de Abril de 2017 • Maksoud Plaza Hotel - São Paulo - Brasil

Edições anteriores

Um primeiro encontro bem-sucedido de cirurgiões plásticos de descendência libanesa foi organizado em agosto de 1999 no Líbano; Foi a Primeira Reunião de Cirurgia Plástica Libanesa-Brasileira. Uma tentativa de organizar uma segunda reunião foi infelizmente abortada pela guerra de 2006. Longe de se render diante da situação ainda instável, uma vez que uma idéia utópica, a Associação de Cirurgiões Plásticos de Descida Libanesa – APSLD foi oficialmente criada em outubro de 2010 em Beirute com o I Congresso Mundial de Cirurgiões Plásticos de Descida Libanesa. O II Congresso Mundial de Cirurgiões Plásticos de Descendência Libanesa foi então organizado em Cancún, México, em outubro de 2012, seguido pelo III Congresso Mundial de Cirurgiões Plásticos de Descida Libanesa em Beirute, novamente em outubro de 2014. O IV Congresso será em 2017 em São Paulo , Brasil.

 

Não há dúvida de interesse em Cirurgia Plástica, em especial Cirurgia Estética, tem aumentado tremendamente na última década. Paralelamente a este aumento de interesse é a proliferação de procedimentos realizados por cirurgiões não totalmente treinados ou mesmo por nenhum cirurgião plástico. Embora alguns estão fornecendo um bom serviço, a maioria está contribuindo para a publicidade negativa nossa especialidade está tendo hoje em dia no Líbano. Os Congressos Mundiais de Cirurgiões Plásticos de Descenso Libanês são a ocasião para colocar as coisas na sua perspectiva adequada e para demonstrar o valor real, conhecimento e habilidades artísticas dos verdadeiros cirurgiões plásticos libaneses no Líbano, bem como no exterior.

 

Esta associação que inclui todos esses cirurgiões tem grande apelo. Ao realizar congressos em intervalos regulares tanto no Líbano quanto nos países da diáspora libanesa, duas coisas podem ser realizadas. A primeira é que essas reuniões únicas podem servir como um intercâmbio de conhecimentos e habilidades e ajudar a “polinização cruzada” e espalhar a palavra rapidamente sobre os procedimentos de refinação que ainda não foram incluídos nas publicações mainstream. A segunda e talvez a realização mais significativa é o renascimento dos laços culturais entre os seus membros, todos eles ligados directamente ao Líbano, o local de nascimento dos seus pais e avós e, de facto, o berço do seu orgulho e honra. O vínculo mútuo da cirurgia plástica transcende os problemas freqüentes e persistentes da religião e seccionalismo e apaga as barreiras que prejudicam muitas grandes culturas. Como Khalil Gibran escreveu: “Aquele que nega a sua herança não tem herança”.

 

O convite foi estendido a outros países também. Houve predomínio de colegas brasileiros na reunião que se realizou em 1999. Planejamos a parte científica do programa para os períodos da manhã, deixando as tardes livres para o turismo e as noites para encontros gastro-musicais durante os quais a cozinha libanesa foi apreciada Por todos. Três detalhes deixaram sua marca nas memórias dos participantes nessa ocasião: o primeiro foi o mais incomum na história dos congressos médicos. É do conhecimento geral que, em eventos nacionais e internacionais de cirurgia plástica, a presença de convidados – cônjuges ou outros – raramente ultrapassa 40%. Neste evento, para cada registrant havia 1.2 convidados, um número unheard. A segunda, a tradicional cozinha libanesa, conhecida e apreciada em todo o mundo, não precisa de mais explicações. O terceiro, a natureza ea geografia do país, a hospitalidade libanesa única com a sua proximidade com a Síria e outros países do Oriente Médio, além de ser um grande centro de emigração para o Brasil, compreendem uma atmosfera que impressiona seus visitantes. Da parte científica, como sempre em todo o mundo, depois de apenas algumas semanas, pouco resta das informações recebidas e trocadas que é mantido na memória dos participantes. Por outro lado, os aspectos sociais permanecem a menos que tenham pouco apelo, caso em que a agenda científica continua a ser o único motivo para retornar a futuros congressos.

 

Por razões relacionadas com a instabilidade política no Líbano, o evento não ocorreu novamente até novembro de 2010, quando foi colocado pela segunda vez, em paralelo com o Primeiro Congresso da Sociedade Libanesa de Cirurgia Plástica e Reconstrutiva, como sempre sob o Engenhosa liderança do Prof. Bishara e seus colegas profissionais. O evento foi um absoluto triunfo científico e social. Havia oradores de 25 países, a maioria dos descendentes libaneses que vivem fora de seu país de origem, com mais de 200 apresentações científicas em duas sessões simultâneas. Mais uma vez, a hospitalidade libanesa e os programas sociais foram integrados naturalmente e sem esforço. Lembranças agradáveis ​​ainda permanecem nas lembranças de todos os participantes. No final do evento, o Dr. José Luis Haddad do México já havia sido eleito e instalado como sucessor do Terceiro Congresso de Cirurgia Plástica para Descendentes Libaneses a ser agendado para 2012. A internacionalização dessa idéia tem vindo a ganhar cada vez mais seguidores no Esperanças de maior integração entre os cirurgiões plásticos de origem libanesa. Não há descendentes da segunda, terceira ou mesmo outras gerações que não têm, além de seu nome de família, conhecimento de seus antepassados, cidades de origem e a saga particular de sua família. Embora o Líbano seja um país pequeno, ao longo de seus seis mil anos de história e cultura, exportou descendentes para todos os continentes. Tal como acontece com os descendentes de outros países ao redor do mundo que migraram de suas terras, os laços culturais são mantidos em graus variados. Isso faz parte da cultura e da sensibilidade humana.

 

Esta mensagem é a primeira de uma série que será distribuída para despertar a atenção da próxima reunião – a ser realizada em 2012 no México – entre os membros internacionais da nova Associação de Descendentes Libaneses. Em breve, o anúncio de um novo modelo de associação médica será enviado a todos os constituintes. Torne-se um membro. A recompensa é amizade, afeição e a manutenção da cultura de nossos antepassados. Aqueles que não têm passado, não têm nada a falar no presente, nem no futuro.

 

Presidente Honorário:

Ricardo Baroudi, MD | Rbaroudicplastic@uol.com.br

 

Presidente:

Bishara Atiyeh, MD | Batiyeh@terra.net.lb